Uma planta que pode crescer até 30 metros de altura e é encontrada em climas tropicais. O óleo é usado há milhares de anos por povos de todo o mundo como alimento e medicamento. Constituído por 90% de gorduras saturadas, tem propriedades que estimulam a circulação

Em setembro com a parceria da WSUP fizemos três workshops de saboaria natural em algumas escolas de Maputo. Pusemos as mãos à obra e todas as crianças produziram o seu próprio sabão com os ingredientes naturais e tradicionais que estavam disponíveis. Uma oportunidade muito bonita para reflectir

A erva príncipe é originária da Ásia, sendo mais comum no sul da Índia onde é usada desde há milénios na medicina tradicional. É utilizada na culinária tailandesa, indonésia e indiana e é mais conhecida pelas suas propriedades medicinais nas Caraíbas, no Brasil e em

Uma árvore natural da Austrália mas actualmente encontrada em várias partes da Europa, América, África e Índia. É um género com mais de 500 espécies, que pode atingir cerca de 90 metros de altura. O eucalipto é analgésico, anti-bacteriano, anti-inflamatório, anti-reumático, anti-séptico, antiespasmódico, antiviral, cicatrizante, desodorizante,

Originária das florestas do Sri Lanka, uma árvore de 8 a 10 metros de altura e até 50 cm de diâmetro. Uma das especiarias mais antigas do mundo, foi introduzida em muitos países tropicais e tem sido utilizada na alimentação e na medicina ao longo

O cheiro fresco da alfazema era o aroma preferido pelos gregos e romanos, o seu nome deriva do latim lavane, que significa lavar. Os antigos egípcios também usavam a alfazema como um perfume. De origem mediterrânea, além das suas propriedades relaxantes a alfazema é anti-séptica, analgésica,

Utilizada há milhares de anos, pelas suas fortes e diversas características aromáticas e medicinais, a hortelã-pimenta é um híbrido entre a hortelã com a hortelã-de-água, nativas da Europa mas actualmente cultivadas em todo o mundo. Com um aroma fresco e picante refresca o espírito, estimula a

O poderoso efeito de desintoxicação do carvão era conhecido por diferentes povos da antiguidade, como os egípcios, gregos e índios americanos. Mas só no início do século XIX surgem os primeiros relatos de experimentações em público, onde é comprovada a capacidade de neutralização de venenos